Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

agosto 05, 2017

VERGONHA!


Muito se fala em bancada evangélica. Ao ouvir essa expressão dá até para se contemplar em visões celestiais, anjos ao redor desses homens que se esforçam e lutam contra as potestades das trevas em meio duma geração má e perversa. Puro engano. Não existe bancada evangélica. O que existe são homens que pertencem a certas denominações e que se dizem convertidos e arrependidos de seus pecados.
Nessa confissão de fé, eles galgam os degraus na escala eclesiástica e como pastores afirmam que querem defender os direitos do povo de sua religião e fazer do Parlamento, uma igreja, a ponto de fazerem o cerimonial de ceia, como se Deus dependesse disso. O pior de tudo, até oram em prol de causas más, contrárias ao direito do povo.
A dita "Bancada Evangélica é constituída de homens que na essência da palavra deveriam dar o exemplo, ser luz e não trevas, ser a favor dos direitos do povo e não contra e principalmente ser idôneos. Eles teriam a obrigação de lutar não pela causa do Evangelho, pois ele não precisa que ninguém o defenda, porém deveriam se preocupar em resguardar a sua própria imagem de político; que foi chamado para defender os direitos de um povo tão sofrido.
No entanto, o que se observa é que a bancada que se auto denomina "evangélica" deixa uma mancha muito grande numa igreja que pelos princípios que possui merece respeito.
Hoje se pode dizer sem sombras de dúvida que todos esses que integram essa famigerada bancada de denominações no Senado Federal não passam de:
Homens frandulentos
Interesseiros
Ladrões e corruptos
Homens que trabalham em causa própria
Homens que não estão nem aí para seus eleitores
Prostitutos e avarentos
É essa a bancada "santa e imaculável" de vinte e uma cobras criadas que votaram a favor da corrupcao e querem representar o povo evangélico no Parlamento: será que isso é justo?

Erlon Andrade

Relacionados:

0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.