Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa: 91 980686698

Translate

janeiro 10, 2017

Autora do Hino de Ananindeua concede entrevista a TV Interação e Jornal de Ananindeua

A professora Cleucydia Lima da Costa com residência na cidade de Goiânia em trânsito por Belém, fez questão de receber em sua residência a equipe do Jornal de Ananindeua e TV Interação. Na entrevista cedida, Ela falou de sua participação nos concursos de hinos municipais dos quais participou através de editais. Ao todo foram quatro participações, nas quais venceu todas. Talvez, o que mais tenha marcado a história dessa renomada professora paraense que se diz uma sobrevivente, pois nasceu na Maternidade da Santa Casa de Misericórdia do Pará e que também atua como psicóloga na Universidade Alfredo Nasser em Goiânia foi a composição do Hino de Ananindeua. 
A Equipe de Jornal e TV foi composta de: Eduardo Sillé, Erlon Andrade e Marquinhos Dias. Essa entrevista será exibida no programa Espaço Aberto do Jornal de Ananindeua que é transmitido pela TV Interação Canal 17 Net TV, nos dias 14 e 16 de janeiro no horário de 11hs às 12 e 12hs as 13hs respectivamente e Blog Opinião e Versos e Jornal de Ananindeua Facebook.

Marquinhos Dias, Eduardo Sillé, Cleucydia Lima da Costa e Erlon Andrade







HINO DE ANANINDEUA

No passado remoto surgiu
Junto ao Norte, Pará, no Brasil.
"Na estrada de Ferro-Bragança"
Povoado de grande esperança
Que através da união conquistou
Esta terra de grande valor
Verde Solo, ostentante ao "Fruto Ananin"
E almejante de glória sem fim.

Refrão:
Salve esta terra!
Que é firme, mui forte!
Força, progresso, orgulho do Norte
Ananindeua, teu lume Fabril
Reluz em todo Brasil.

Sendo teu porte quase central
Teu dominio era da capital
Cobiçada foi tua grandeza
Tua força e tua riqueza.
mas teus filhos lutaram então
Pra conquista de libertação
E este pago de afago e do 'fruto Ananin"
Altivou-se á gloria sem fim.

Em teu colo ostenta a paz
Polidez e madeira eficaz
Desde outrora, " o sítio , o curtume"
Revelaram o fulgor de teu lume
Em tuas veias sempre hás de sentir
O pulsar-coração Maguary
Em tua alma, a "Graça", a glória sem fim
E o cantar de teu povo assim.






0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.