Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

novembro 28, 2013

Entendendo a Pedagogia

Macelania Fernanda - Pindamonhagaba


Para começar, vamos esclarecer algumas coisas, como por exemplo, o que seria Pedagogia? O termo pedagogia, do grego antigo paidagogós, era inicialmente composto por paidos (“criança”) e gogía (“conduzir” ou “acompanhar”). Outrora, o conceito fazia, portanto referência ao escravo que levava os meninos à escola. Bom, não vamos entrar nesse mérito não é? Pedagogia é a ciência que tem por objeto de estudo a educação, (isso foi muito óbvio não é?), e foi exatamente por uma única palavra que me levou a escolher essa profissão: Educação! Além do infinito amor que eu tenho por crianças e por seres humanos eu acredito que uma educação de boa qualidade poder sim mudar o mundo, você pode estar pensando: -Mas, no mundo em que vivemos? -Com esses políticos, governo?
Eu quero falar uma coisa pra você, apesar da defasagem que existe precisamos entender que somos capazes de mudar isso, eu sozinha não conseguirei, mas como educadora eu posso começar esta mudança na minha sala de aula, poucas pessoas sabem ou muitas poderão saber, a escola é a segunda base estrutural e formadora de caráter da criança, e é a partir desse pressuposto que precisamos nos conscientizar de que um educador não é apenas um repassador de conhecimentos, mas também um idealista que poderá levar uma criança a conhecer um mundo fantástico e a se tornar um adulto exemplar.
Você já ouviu falar sobre o holding? “Essa palavrinha estranha é o somatório de aconchego, percepção, proteção e alegria fornecidos pela mãe”, assim diz o psiquiatra Winnicott, começa como algo vital, como o oxigênio e a alimentação, e se dilui conforme o bebê cresce (depois falamos um pouco disso, em outro post), o que quero dizer é que os educadores devem fornecer holding no ambiente escolar", segundo Bogomoletz. Isso significa tratar cada aluno como ele precisa. O termo "inclusão", se levado a sério, indica uma atitude de holding. O acolhimento adequado pode, portanto, ajudar uma criança regida por um self falso - geralmente boazinha e obediente - a se tornar mais espontânea. No entanto, é preciso que a escola aceite as temporadas de 'mau comportamento'. Trata-se de adotar sempre uma postura tolerante e criar condições para que a criança desfrute de liberdade. Nada mais importante, nesse sentido, do que o papel da brincadeira - fundamental para Winnicott, não apenas na infância, por misturar e conciliar o manejo do mundo objetivo e a imaginação. "Brincar pressupõe segurança e criatividade", diz Bogomoletz. "Crianças com problemas emocionais graves não brincam, pois não conseguem ser criativas."
Em algumas pesquisas que fiz, descobri que Winnicott dizia que "A escola tem a obrigação de ajudar a criança a completar essa transição do modo mais agradável possível, respeitando o direito de devanear, imaginar, brincar", prossegue o psicanalista. O respeito que os pequenos terão pela objetividade será incorporado por eles, jamais imposto de fora para dentro. Quando livres para criar, eles vêem no estudo um modo de exercitar o poder de invenção. Se, no entanto, o ambiente escolar não for aberto à brincadeira, "os recreios serão tanto mais selvagens quanto as aulas forem mais opressoras ou supostamente sérias". 
Agora você consegue imaginar o tamanho da responsabilidade que um professor tem? Apesar das dificuldades e do não reconhecimento eu acredito que eu posso sim fazer a diferença, por isso escolhi a Pedagogia, por que eu sei que ainda há esperança, sei que Deus coloca as pessoas nos lugares certos. Pense nisso.

0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.