Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

setembro 17, 2013

Banda paraense Álibe de orfeu


Rui Paiva (Bateria e percussão); Sidney KC (Contrabaixo); Elaine Valente (Guitarra, violão e backvocal); Rafael Mergulhão (Guitarra e backvocal) e Norah Valente (Voz e percussão)
    Quem pensa que a cultura de um povo está limitada à certas batidas e sons se engana. O Brasil está repleto de artistas que fazem a diferença, tanto em suas gerações quanto nas seguintes. Um exemplo bem claro disso é a Banda Paraense Álibe de Orfeu, idealizada a princípio por Rui Paiva em 1987. Neste mesmo ano foram iniciadas as primeiras reuniões nas quais integravam a Gabriela Pinheiro (atualmente em outra banda) e André Guimarães que se tornou empresário.

    As dificuldades daquela época sempre se relacionava a falta de espaço para a apresentação das músicas, porém de acordo com o baterista do grupo, "-naquele tempo a situação era bem mais complicada."
    Eles dividiam espaço com grupos de carimbós, mambos, baladas, jazz etc. O palco era os festivais de música, os quais participavam, e que tinham uma boa infraestrutura. Quando os cabeludos entravam em cena com as guitarras na mão e querendo agitar, a galera torcia o nariz. E apesar de nunca terem ganhado um festival, as músicas do Álibe de Orfeu sempre eram classificadas para a final. 
    - O lema do grupo é acreditar sempre em nossa música; em nossos fãs e produzir para as pessoas que nos acompanham.
    É difícil? Sim. Mas faremos nossa parte. É a nossa contribuição para a cultura do Pará. Finaliza Rui Paiva




2 comentários :

Persistiram no seu sonho e não deixaram o sonho morrer determinação é tudo Parabéns!!

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.