Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

maio 20, 2010

Fatalidade

O cabo Leonardo Albarello do Bope matou por engano o trabalhador Hélio Ribeiro. Sim, por engano.
Hélio estava no terraço pregando uma lona com a furadeira, e o policial confundiu a furadeira com uma arma e disparou contra o homem de 47 anos, isso ocorrreu no Andaraí Rio de Janeiro.
O cabo será indiciado por homicidio doloso, com a intenção de matar.
Um inocente perdeu a vida, ou melhor mais um, mas precisamos analizar um pouco a situação.
Os policiais enfrentam diariamente situações de risco, e por mais preparado ou treinamento que recebam, sempre haverá a tensão dos policiais envolvidos na operação. O policial é como um de nós, não é super homem. O policial chora, e também tem medo, e a tensão é grande, principalmente por saber que deixou em casa uma familia que o espera em seu retorno. O homem estava no terraço de casa, com uma furadeira na mão, o policial de longe confundiu com uma arma e atirou, errado?
São situações que só quem vive sabe e conheçe, o próprio governador Sérgio Cabral disse que foi uma fatalidade. Fatalidade sim.
Infelizmente estamos no meio e podemos ser envolvidos nesta fatalidade. Aqui em Belém, a febre é assalto com refém, e isso virou moda. A criminalidade está em ascensão. Os policiais mal pagos como sempre, sem estrutura, os presidios lotados, e os candidatos a presidiários aqui fora esperando vaga.
Culpar o policial do Bope é fácil, alguém pode perguntar: "E se o policial tivesse matado um da tua familia?". Precisamos em todos os momentos da vida ter cautela, porque não somos juízes, não temos  poder algum, nem sobre a vida, nem sobre a morte.
Que Deus conforte a familia  desse trabalhador.

Víúva chora a morte do marido

0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.