Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

março 22, 2009

Pedofília


Nos Estados Unidos, a punição à pedofilia está seguindo uma tendência já consolidada nos casos de estupro. a predominância dos processos cíveis. Em vez de levar o assunto aos tribunais criminais, as vítimas de abuso estão entrando com ações pedindo reparação em dinheiro pelo dano sofrido. Há duas razões para isso.
A primeira é que, nos processos cíveis, as vítimas precisam se expor menos do que nos criminais. A segunda é que maioria das vítimas só ganha consciência dos abusos ocorridos na infância na idade adulta, quando o crime já prescreveu. Nos últimos cinquenta anos, apenas 10% dos padres acusados de abusos sexuais foram condenados. A maioria, como o padre Paul Shanley, que em 2005 pegou 12 anos de cadeia, só pode ser julgada porque alguns estados americanos estenderam os prazos de prescrição. Ainda assim, continua sendo mais fácil processar as instituíções responsáveis por permitir os abusos, o que pode ser feito a qualquer momento. Por isso, a Igreja Católica tornou-se campeã de processos por pedofilia nos Estados Unidos.
Em dezembro do ano passado, uma diocese do estado de Vermont foi condenada a pagar 3,6 milhões de dólares para David Navari. Na década de 1970, quando era coroinha, Navari foi violentado duas vezespor um padre da diocese de Burlington, cujos superiores sabiam da propensão à pedofilia do religioso. No início de 2008, o mesmo tribunal condenou a diocese a pagar 8,7 milhões de dólares de indenização a outra ex-coroinha. Em ambos os casos, a igreja não conseguiu fechar um acordo financeiro para que as vítimas desistissem do processo. Um relatório sobre pedofilia divulgado neste mês pela igreja católica americana mostra que, nos últimos 50 anos, a instituíção já pagou 2,6 bilhões de dólares em acordos, honorários de advogados e outros custos relacionados à negligência com que tratou os abusos sexuais cometidos por alguns de seus integrantes. Para pagar a conta, ela está tendo de vender propriedades e sacrificar suas poupanças. Não há indícios de que a proporção de pedófilos na igreja seja maior do que no resto da população. Mas fica claro que, pelo número de denúncias, a postura da instituíção, de acobertar os casos de abuso, bem como a excessiva confiança depositada nos clérigos pelos pais das crianças, facilitou enormemente a ocorrência dos crimes.

Fonte: Revista Veja: Diogo Shelp...edição 2105 ano 42 nº 12

0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.