Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

março 03, 2008

Está começando a ficar como Hugo Chaves queria!



REUTERS - 04.03.2008 10:39
Correa inicia no Peru busca de apoio em crise com Colômbia
LIMA (Reuters) - O presidente do Equador, Rafael Correa, inicia na terça-feira no Peru uma viagem por cinco países latino-americanos para explicar sua posição na atual crise com a Colômbia. Quito rompeu relações diplomáticas com Bogotá após um ataque de forças colombianas contra guerrilhas das Farc localizadas em território equatoriano.
Correa desembarcará em Lima por volta das 10h (12h em Brasília) e uma hora depois se reunirá com seu colega Alan García, segundo confirmação feita por um porta-voz do palácio presidencial peruano. A viagem também deve incluir Brasil, Venezuela, Panamá e República Dominicana.
A intenção de Correa é informar sobre a incursão de militares colombianos em território equatoriano no fim de semana, em uma operação na qual morreu Raúl Reyes, considerado o segundo no comando das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).
O Equador considerou o ataque como uma agressão e imediatamente o governo recebeu apoio da Venezuela. Caracas e Quito enviaram tropas à fronteira com a Colômbia e romperam relações com Bogotá. A Colômbia acusou a Venezuela de ter dado 300 milhões de dólares em ajuda às Farc, o que o governo venezuelano nega.
O embaixador do Equador no Peru, Diego Ribadeneira, disse que o governo de Correa espera que García colabore na resolução da crise.
"O importante é que o presidente García é um bom amigo do Equador e da Colômbia, e então ele poderá ajudar a solucionar o problema, a buscar caminhos nesse objetivo e a escutar a posição do Equador", disse Ribadeneira à agência oficial de notícias do Peru, a Andina.
García disse na segunda-feira que a incursão colombiana no país vizinho violou as leis internacionais e pediu uma reunião de emergência da Organização dos Estados Americanos para definir uma ação coletiva contra o "terrorismo".
O Conselho Permanente da OEA deve realizar uma reunião extraordinária na terça-feira, a pedido do Equador.
A secretaria de imprensa do governo peruano disse que García se comunicou na segunda-feira com a presidente do Chile, Michelle Bachelet, e com o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, em busca de ajuda para resolver a crise.
Peru e Equador protagonizaram a última guerra na América do Sul, em 1995, numa disputa provocada pela demarcação de uma fronteira na Amazônia. O conflito foi solucionado pela mediação de um grupo de "países amigos" (Argentina, Brasil, Chile e Estados Unidos) que posteriormente enviaram tropas para vigiar a aplicação de um acordo de paz.
Atualmente, o Peru mantém uma disputa territorial marítima com o Chile. Lima já recorreu à Corte Internacional de Haia para tentar resolver o assunto.
Avalie este artigo: Ruim

Thank you for rating.
UGR('ratCntrl')
Excelente
Sua opinião pode ajudar outros usuários a avaliarem este artigo

Thank you for rating.Avaliação média: de 8 usuários
UGR('ratCntrl');var elmImg=document.getElementById("ratCntrl");elmImg.align="absmiddle";var title="Avaliação média";var from="de";var users="usuários";var avgRating=0;avgRating=6.25;var usersCount=1;usersCount=8;var avgHint="[%usercount%] usuários acham que este artigo é [%value%] (baseado na média de [%average%] estrelas)";ShowAvgResult("ratCntrl",avgRating,usersCount,title,from,users,avgHint);

0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.