Salvar postagem como: PDF

Total de visualizações de página

Anuncie sua empresa

Translate

fevereiro 23, 2008

Nova Pizza?


Adriana Vasconcelos e Maria Lima - O Globo; Agência Senado; Agência Brasil
BRASÍLIA - O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), leu na sessão do Congresso nesta quinta-feira o requerimento de criação CPI mista do Cartão Corporativo, criando oficialmente a comissão.
A CPI do Cartão Corporativo terá 90 dias, podendo ser prorrogada por mais 90, para investigar o abuso na utilização dos cartões do governo federal nos últimos dez anos, englobando, assim, o segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o período de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A oposição ameaça não indicar ninguém para a comissão e quer uma CPI exclusiva no Senado, se o governo não abrir mão dos cargos de comando da CPI mista. O PMDB indicou o senador Neuto do Couto (SC) para a presidência, e o PT sugeriu o deputado Luiz Sérgio (RJ) para a relatoria. Regimentalmente, PT e PMDB têm direito às duas vagas de comando na CPI mista por serem os partidos com maior representação.
O discurso em q ue o senador Gilvam Borges (PMDB-AP) chamou a oposição de irresponsável por criar duas CPIs irritou o senador Mário Couto (PSDB-PA). O tucano também subiu à tribuna e fez críticas ao governo. Após falar, foi com o dedo em riste em direção a Gilvam, que estava na primeira fila do plenário. Os dois quase chegaram à pancadaria. (Ouça trecho da discussão) Presidente do Senado critica segunda CPI
A sessão durou cerca de 20 minutos e o plenário estava com cerca de 30 parlamentares. Antes do início sessão, Garibaldi criticou proposta de instalação de duas CPIs. Garibaldi ainda que se os líderes partidários não indicarem os integrantes da comissão em cinco dias, ele fará a distribuição dos cargos com base no regimento interno da Casa. A CPI mista contará com 11 deputados e 11 senadores.
- Os líderes vão indicar. Se não indicarem, nós indicaremos. Eles hoje sabem que não têm essa folga toda, não - afirmou o presidente, provocando risos entre os jornalistas que o entrevistaram logo que chegou ao Congresso.
Entre os parlamentares, se cogitou a hipótese de o PMDB abrir mão da presidência para o PSDB, acalmando a oposição e enterrando uma segunda CPI, que os oposicionistas protocolaram no Senado.
- Até o momento não (existe essa hipótese), porque o Neuto de Conto tomou gosto. Mas vamos ver, na política não existem portas fechadas. Sempre há possibilidade de entendimento - disse o líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp (RO).
Diante da disputa pelos cargos de presidente e relator, Garibaldi disse que "cada um tem a sua razão".
- Cada um tem sua razão, não é? A meu ver, eles, principalmente a oposição, estão tentando fazer uma coisa que não considero verdadeira, que é tentar instalar duas CPIs, uma exclusiva do Senado e outra mista. Eu acho que a oposição está fazendo isso para pressionar o governo, porque não há possibilidade de se ter aqui duas CPIs - disse.
Leia Mais:
MP investiga uso de cartão corporativo por órgãos federais no Acre
Para leitores, com uma ou duas CPIs, a pizza já está no forno
Assine O Globo e receba todo o conteúdo do jornal na sua casa

0 comentários :

Postar um comentário

Todos os comentários serão bem vindos, porém, só aprovarei dentro do tema exposto.